Raio X de uma prancha de bodyboard

bodyboardstock2

Os bodyboards são seres complexos. Combinar design, desempenho e hidrodinâmica não é uma tarefa fácil. O que torna um bodyboard verdadeiramente extraordinário?

Escolher o bodyboard certo requer tempo e paciência. Em primeiro lugar, é importante dar uma olhada nas mais comuns Tipos e materiais básicos.

Você pode modelando um bodyboard usando tiaras, espuma extrudada, polietileno extrudado, polipropileno e arcel.

No entanto, existem mais variáveis ​​na equação do bodyboard. É importante conhecer o motorista Relação peso / altura e experiência.

Como regra geral, uma prancha de bodyboard que se adapta ao seu corpo é geralmente aquela que nivela o umbigo.

Saber se você está praticando bodyboard em águas quentes / tropicais ou frias não é pouca coisa.

A primeira coisa que você vê em um bodyboard é seu padrão. O padrão é a forma geral ou formato do tabuleiro.

Estênceis mais largos tendem a funcionar melhor em ondas menores, enquanto pranchas mais finas têm maior probabilidade de se ramificarem nas ondas.

Um bodyboard tem seis características principais:

1.kernel

O coração do bodyboard; Os núcleos mais comuns da carroceria são polietileno (PE) e polipropileno (PP).

2ª ponte

A sensação do bodyboard. A parte superior da placa deve estar pronta para absorver o choque para poder ser flexionada, se necessário.

3. Slick

Pneus de bodyboard. O fundo da folha está em contato constante com a água e geralmente é feito de polietileno de alta densidade irritável (PEAD).

4. Restritor / I.

O esqueleto do bodyboard; Tubos de fibra de carbono ou fibra de vidro que conferem maior rigidez a uma prancha de bodyboard.

5. Trilhos

O volante do bodyboard; a Bordas laterais defina seu controle no quadro.

6. Cauda

O bodyboard quebra. As caudas em morcego e em meia-lua são opções populares, dependendo se você gosta de ondas pequenas que exigem velocidade ou ondas maiores que exigem controle.

Slicks: em contato permanente com a água Foto: QCD-Boards

Os bodyboards, no entanto, escondem alguns outros segredos que entram em jogo quando se surfa em ondas grandes e pequenas.

Esses detalhes são geralmente estudados por modeladores de bodyboard para melhorar a experiência geral de navegação e, a nível profissional, eles são muito interessantes de aprender.

1. comprimento

Ondas pequenas como pranchas maiores e ondas maiores querem pranchas menores.

2. nariz

Narizes menores significam mais velocidade e menos estabilidade, enquanto narizes mais largos significam melhor desempenho em ondas grandes.

3. Lâmpadas nasais

As camadas adicionais de espuma nos cantos do nariz proporcionam melhor aderência.

4. Espessura

As placas mais espessas aumentam a velocidade, mas oferecem menos capacidade de manobra, enquanto as placas mais finas são ágeis, responsivas e lentas.

5. Ponto geral

O ponto onde o contorno muda de direção. Afeta o controle e a velocidade.

6. Canais

Pequenos estreitos na base do lençol freático. Eles reduzem a derrapagem e controlam a prancha ao manobrar contra a onda.

7. Linhas de pinos

Uma linha de contorno conectando slick, deck, rail, nose e tail.

8. Malha

Uma camada de plástico semelhante a um fio entre a fita e o núcleo é adicionada para aumentar a durabilidade geral.

9. Mudar

A curva do perfil do bodyboard.

Saiba mais sobre bodyboards em “O manual do bodyboard. “

Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar neste sítio, está a concordar com a nossa utilização de cookies.