10 dicas para rolar no chão em uma prancha de bodyboard

shorebreak

Férias no campo são coisas difíceis. As ondas que batem diretamente na areia podem facilmente quebrar vários ossos em questão de milissegundos. Aprenda como sobreviver a uma experiência de pouso.

A automutilação costuma ser considerada um transtorno mental, mas muitos surfistas apreciam situações de risco. Para eles, navegar pela terra é perigosamente divertido e viciante.

A atividade geralmente inclui ondas quebrando, marés altas, águas super rasas e, em alguns casos, praias de areia dura.

O objetivo é explorar o caos, desafiar os medos e, eventualmente, ter problemas (e não sair deles).

Dirigir em terra muitas vezes acaba no hospital, e os relatórios médicos às vezes apontam para fraturas no pescoço e nas costas, crânios fraturados e ossos quebrados.

Em outras palavras, pessoas normais não.

Mas se você de alguma forma for atraído para o abismo, tente deixar a cena de terror ilesa.

Acima da barra

Aprenda a se jogar na saliência e sair da praia com um sorriso – e todos os dentes – no rosto.

1 Usa um capacete: Se você bater com a cabeça na areia, o jogo acaba.

2. Pegue a onda mais cedo: se você for rápido o suficiente, pode ser capaz de pegar a onda em vez de largar a onda clássica.

3. Não hesite: quando você decidir remar uma onda, entre e saia;

4. Incline a mesa: esqueça O chão gira e quedas verticais: manter a prancha e o corpo paralelos à praia;

5. Dê um passo para trás na prancha: muito peso para frente empurra a prancha na área de impacto.

6. Levante o peito: evite que sua cabeça bata na areia quando a onda explodir na praia.

7. Pegue o trilho externo – não deixe a energia das ondas cair na prancha.

8. Levante a ponta do tabuleiro – tente desafiar a gravidade o máximo possível. A parte inferior da prancha deve primeiro tocar a areia da praia.

9. Mantenha a prancha nivelada: pouse o mais firmemente possível e amortece o impacto da onda em seu corpo.

10. Vá para o barril: divirta-se e tente fazer história encontrando uma saída impossível através da água branca e pulsante.

Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar neste sítio, está a concordar com a nossa utilização de cookies.